Ele Ressuscitou

Hoje é comemorada a páscoa em muitos países. É uma data que vem acumulando vários significados, começando pelo livramento de Deus aos Israelitas no Egito, até hoje que não sei de onde surgiu o coelho e o ovo. Mas tanto faz. Foi na época de páscoa dos Judeus que Jesus foi crucificado e morto e após três dias ressuscitou, e é nisso que quero focar.

No meio desse monte de coelhos e chocolates ainda surge um pouco do anúncio da ressureição de Cristo, mas o que isso quer dizer? É algo que no começo, quando comecei a crer em Deus, tive dificuldades para entender, a importância da ressureição.

Muitos falam hoje da esperança e época de recomeço e coisa e tal, mas nesse discurso percebe-se o apego a esta vida. "Ó, minha vida está difícil, a páscoa me da esperança de que as coisas podem melhorar". Esse discurso me chateia. Podemos de fato ter esperança na ressurreição de Cristo, mas porque?

Bem, primeiramente, antes da ressurreição devemos lembrar da morte, o que aconteceu na morte de Cristo?

Cristo sendo Deus se fez homem, e sendo homem fez aquilo que nenhum homem poderia fazer, para que o homem fosse redimido com Deus. Cristo viveu sem pecados, e morreu pelos nossos pecados. Tomou sobre si o castigo que nós merecíamos, afinal, diante de Deus totalmente santo, quem se achegaria e seria considerado digno de salvação? Imagine-se diante do julgamento do Deus todo poderoso, existe alguém totalmente livre de pecados que seria considerado justo? Não (Rm 3:10). Porém existe aquele, perfeito Deus e perfeito homem, que nos torna justos. Jesus Cristo nosso salvador. Diante do tribunal de Deus, Jesus se coloca diante de Deus e diz: "Eu morri por ele". Esse morrer de Cristo nos torna justos. Os que creêm nessa salvação são justificados pelo sangue de Cristo.

Mas Jesus não morreu? Como pode interceder por nós no tribunal de Deus? Por isso a importância da ressureição. Ela mostra que a morte não deteve Jesus, porém a morte foi vencida na cruz. Aquele que morreu por nós, vive, e pela sua morte e ressureição, aqueles que creem no seu nome, vencerão a morte com ele. Não por algum mérito próprio, mas pela graça e misericórdia de Deus. Sendo que essa morte, não é a morte terrena de que tantos temem, mas a morte da alma. Aqueles que creem em Jesus Cristo, por mais que morram nesta terra, viverão eternamente com Deus. Mas aqueles que não creem, serão condenados eternamente.

Por isso a idéia da páscoa trazer esperança de uma vida melhor é tão sem sentido. Ora, o que é a vida se comparada à eternidade? O que vivemos aqui é sombra do que está por vir. A esperança que temos em Cristo, na vida que nos espera, é muito superior à esperança de uma vida melhor nessa terra. Na vida terrena passamos por tribulações, angústias, dores, porém na vida eterna viveremos diante da glória de Deus, com corpos incorruptíveis e bençãos inimagináveis.

Portanto nos apeguemos a Cristo e vivamos na esperança de sua volta. Pois Ele vive e retornará para buscar aqueles que foram chamados para Ele.

Se Cristo tivesse permanecido morto, como qualquer outro "salvador", "mestre" ou "profeta", sua morte teria sido como qualquer outra morte. As ondas da morte teriam encerrado, como faz a todo o ser humano; toda afirmação que ele fizera, teria dado em nada, e a humanidade ainda estaria sem esperança de ser salva do pecado. Mas, quando o ar penetrou seus pulmões ressurretos novamente, quando a vida da ressurreição energizou seu corpo glorificado, tudo que Jesus dissera foi confirmado plena, final, inquestionável e irrevogavelmente.

Greg Gilbert - O que é o Evangelho?