Argumentações X Conversão

Hoje eu estava lendo um texto que fala sobre o perigo do pecado (link) e me chamou atenção o final, onde ele fala: 

Sei que esse assunto é considerado anacrônico por muitos que zombam dessa mensagem, mas a minha responsabilidade diante de Deus é a de anunciá-la. Quanto à sua aceitação, é algo que depende de cada um, porque essa responsabilidade é pessoal! (ez 3:17-19)

Esse texto de Ezequiel é bastante forte, vale a pena ler. Mas no caso eu lembrei da passagem de (1co 2:4-5)

Minha mensagem e minha pregação não consistiram de palavras persuasivas de sabedoria, mas consistiram de demonstração do poder do Espírito, para que a fé que vocês têm não se baseasse na sabedoria humana, mas no poder de Deus.

 E continua bastante interessante nos versículos posteriores.

Com a internet as pessoas têm mais facilidade para discutir assuntos e não é novidade que os assuntos de Deus causam bastante polêmica. Tem sempre aquelas pessoas que querem ter a razão e convencer os outros da existência ou não de Deus através de argumentos e, no fim, ninguém convence ninguém de nada.

Outro dia eu vi uma discussão assim onde uma pessoa dizia que todas as religiões são iguais (inclusive o cristianismo) e outra pessoa contra argumentava. Porém, uma terceira pessoa entrou na conversa e, ao invés de contra argumentar, simplesmente apresentou o plano de salvação e  falou no que cria.

Como diz o texto de Paulo, ficar discutindo com linguagem persuasiva de sabedoria muitas vezes não vai levar a nada. Tudo bem, podemos defender a fé através disso, porém é o poder de Deus que convence da verdade. Se a pessoa não crê, os argumentos não valerão de nada, mas a verdade precisa ser dita.